Marcelo Machado

MARCELO MACHADO

Roteirista | Diretor

Marcelo Machado (Araraquara, 8 de junho de 1958) é um cineasta brasileiro, conhecido por seu trabalho com vídeo experimental nos anos 1980 e, mais recentemente, por seus documentários de longa-metragem. Formou-se em Arquitetura pela USP.

Em 1981, com os ex-colegas de curso Fernando Meirelles, Beto Salatini e Paulo Morelli, Marcelo criou a produtora Olhar Eletrônico, grupo criativo que se tornou conhecido pelo pioneirismo e pelo caráter experimental de suas produções em vídeo. Nos primeiros trabalhos da produtora, como produtor e como diretor de fotografia, Marcelo ajudou a documentar o surgimento da “Vanguarda Paulista” (“Música na praça”, 1981) e a refletir sobre o conflito entre produção de energia elétrica e ecologia no Brasil (“Eletroagentes”, 1982).

Em 1983, seu primeiro trabalho ficcional, o curta-metragem “Marly Normal” (em co-direção com Fernando Meirelles) ganhou o prêmio principal no 1º Festival Video Brasil.

Ainda nos anos 1980, antes mesmo da dissolução da Olhar Eletrônico, Marcelo Machado foi diretor de programação da TV Gazeta, onde criou o TV MIX, formato de programação modular que entre outras inovações lançou a primiera geração de video-repórteres no Brasil. Depois foi coordenador de produção da TV Cultura e em 1991, trabalhou no lançamento da MTV Brasil. Em seguida, assumiu o Departamento de Rádio e Televisão da agência de publicidade DPZ, para a qual realizou dezenas de campanhas e os documentários “No limits” e “Around the world”.

Em 2000 passando a trabalhar alternadamente como diretor de publicidade, programas de televisão e de documentários. Em 2001 dirigiu a série “Música Brasileira” para o canal Multishow e produziu o especial “Drum in Braz” para a MTV Brasil.

Em 2003 recebeu o prêmio de melhor vídeo de música eletrônica por “Samba Sim”. Em 2005, criou e co-dirigiu o documentário de longa metragem “Ginga, a alma do futebol brasileiro” para a O2 Filmes. A partir de então, tem-se dedicado a documentários de longa duração, como “Oscar Niemeyer, o arquiteto da invenção” (2007), sobre o centenário de Oscar Niemeyer e “O Sarau” (2011), sobre o papel da poesia na vida dos cidadãos de Dois Córregos.

Em setembro de 2012, depois de cinco anos de pesquisa, lançou o documentário “Tropicália”, recuperando imagens raras do movimento tropicalista e com entrevistas inéditas de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé e Rogério Duarte.